Avon lança compromisso antirracista com metas para contratação de mulheres negras em cargos de liderança

Se gostou compartilhe!

Pacto foi criado para amplificar e dar continuidade às iniciativas que a empresa vem desenvolvendo, principalmente nos últimos cinco anos

A Avon, parte do grupo Natura &Co e uma das maiores empresas de venda direta do mundo, apresenta seu compromisso antirracista no Brasil, um plano de ação que prevê o aumento da representatividade e do empoderamento de pessoas negras, dentro e fora da companhia. As ações contemplam ampliar a empregabilidade de pessoas negras e a sua presença em cargos de liderança; acelerar a inovação nos produtos que incluam toda a diversidade da beleza brasileira; amplificar as vozes de mulheres negras por meio de suas campanhas; e buscar ativamente oportunidades para que a Avon se posicione afirmativamente antirracista em todas suas atividades.

Em 2015, a Avon Brasil iniciou seu programa de Diversidade & Inclusão, chamado de Rede Pela Diversidade, e desde então amplia suas ações neste sentido. Na trajetória da empresa para aumentar a empregabilidade, retenção e desenvolvimento de pessoas negras, em 2016, firmou o compromisso com o Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça, que estabeleceu metas de contratação de estagiários e gerentes de setor. Recentemente, em função dos protestos do movimento #VidasNegrasImportam, a companhia percebeu a necessidade de reconhecer que suas ações ainda não eram suficientes, decidiu se debruçar ainda mais sobre o tema e assumir publicamente seu compromisso.

O plano de ação foi construído junto com os colaboradores voluntários da Rede pela Diversidade e desenvolvido com apoio e participação da alta liderança e do time de Recursos Humanos da Avon Brasil. Também está alinhado com o Compromisso pela Vida 2030 do grupo Natura &Co – plano para enfrentar algumas das questões globais mais urgentes, que tem como um dos pilares a defesa dos direitos humanos e inclusão de grupos sub-representados nas sociedades.

Entre as diversas ações do compromisso antirracista, a Avon definiu como meta contratar 50% de pessoas negras. Para as áreas da empresa com a menor representatividade negra, foi instituída a obrigatoriedade de, no mínimo, uma pessoa negra como finalista em processos seletivos para líderes dessas áreas. Além disso, foi estabelecida a meta de ter 30% de mulheres negras nos cargos de liderança até 2030.

Esses protocolos já estão impactando positivamente a realidade da Avon no Brasil e, em 2020, 100% das novas vagas de estágio foram preenchidas por pessoas não brancas. Além das metas de contratação, a empresa traçou estratégias para a inclusão e retenção de talentos negros e, para isso, fará o letramento racial de toda a liderança em 2020 e demais colaboradores até o final de 2021.

“Queremos uma Avon tão diversa quanto o Brasil pois a sub-representação de mulheres e homens negros não só desperdiça talentos, mas renuncia perspectivas diferentes que contribuem para ampliar nossa capacidade de inovar, ampliar nossa competividade e conexão com nossas clientes”, afirma Daniel Silveira, Presidente da Avon Brasil. “Acreditamos ter um papel fundamental no processo de mudança da sociedade e esperamos inspirar outras empresas. O caminho ainda é longo para que possamos reparar as injustiças históricas, mas essa jornada será trilhada com consistência em cada passo”, completa o executivo.

Externamente, a Avon continuará priorizando o protagonismo das mulheres negras em suas revistas, redes sociais e campanhas publicitárias, reafirmando a importância da representatividade e da revisão ativa de qualquer estereótipo em sua comunicação. A empresa também se compromete a refletir essas ações em todos os pontos de contato da marca, o que inclui uma revisão de linguagem. A partir de 2020, por exemplo, a Avon substituirá o termo “Black Friday” por “Best Friday”.

Em novembro, a empresa fará o lançamento de produtos para mais tons de pele em seu portfólio como resposta para a necessidade de atender a diversidade da beleza brasileira. O processo é resultado de uma conduta humanizada e empática, que foi inspirada pelas mulheres negras do Brasil. O processo começou em 2013, com um estudo sobre a diversidade global de peles, que envolveu pesquisadores e consumidores para criar uma variedade de tonalidades.

Em 2019, a Avon identificou a necessidade de mais opções de cores voltados aos tons de peles negras brasileiras. Um novo portfólio de produtos foi desenvolvido em Suffern-NY por Candice Deleo-Novack, chefe de desenvolvimento de produtos para olhos, rosto e design técnico de produtos da Avon. Esse portfolio também contou com a colaboração de Daniela Da Mata, uma das maiores experts em pele negra no Brasil.

JÁ SEGUE O SEGURA NA MINHA MÃO?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *